Deu a louca no paraíso

 Já não entendo mais nada. Vivi anos maravilhosos na serra e de lá para cá, como diz o meu médico, mamy me tirou do paraíso e me trouxe para o inferno da cidade grande. Passei a usar coleira, a sair nos horários das gentes e fiquei proibida de fazer um monte de coisas. Como demonstração de minha revolta, passei a despedaçar as camas horríveis que me dão.

Mesmo assim, continuou a ser um paraíso, perto de tanto cãozinho e gatinho abandonado à própria sorte. Minha família humana me acha meio voluntariosa, mas me adora. Meu tio me faz os melhores carinhos, minha avó me cobre e passeia comigo, meu avô é que desapareceu de repente. Acho que ele está na cozinha quando sinto o cheiro de seu perfume, mas quando chego lá, não é ninguém. E adoro minha dona, estou sempre por perto, quando ela está ao alcance de meu potente faro.

Mas agora, que começou o inverno rigoroso no Rio, quando os cariocas tiram todos os casacos do armário e tremem aos 16º, minha dona resolveu me vestir com isso aí da foto. Foi um escândalo! Na rua, eu não quis falar com nenhum dos meus amigos, morta de vergonha que eu estava. Marvin passou do outro lado da calçada e me viu, mas eu olhei para o lado. Tudo o que queria era voltar correndo para casa. Ou tirar a fantasia. Arrastei minha barriga no chão, me esparramei, fingindo ser um sapo, mas não houve forma de impedí-la de me levar à rua vestida desse jeito. Ela jurou que não coloca mais, foi só hoje, nunca mais tem que ser nunca mais!

Nem nos tempos realmente frios da serra eu usava roupa! Agora mamy cismou que só porque eu estou mais velha, sinto mais frio e tenho que me vestir. E onde fica minha dignidade de cachorrinha levada e autônoma? Não… nunca mais! Por favor, ajudem, peçam à minha dona para não mais me vestir com roupa nenhuma, porque gosto mesmo é do meu pelo ao vento! Depois me enrosco no cobertor, mas fantasiada, na rua, nunca mais!

Anúncios

4 pensamentos sobre “Deu a louca no paraíso

  1. Pode deixar, querida. Encontrando com a sua mãe, terei uma conversa seriíssima com ela. Que história é essa? Não é verdade? Humano tem mesmo cada ideia… Por enquanto, aguente firme, que uma hora isso passa. É só excesso de mãe.

  2. Tadinha da Sheera!!! tô com ela & não abro, cão de roupa & sapatos é cafonérrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrimo, aqui e no Alaska ! pronto, falei !

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s