O nosso dindinho

Atendi o telefone de um salto e a voz do outro lado disse, chorando: "ele foi". Entendi de imediato o que tinha acontecido, mas não sabia, ainda, o impacto de sua ausência em nossas vidas. O marido da minha madrinha, o pai de minhas primas, o cunhado de meus pais, o meu padrinho partiu cedo, … Continue lendo O nosso dindinho

A casa de minha infância

A casa de minha infância tem paredes brancas e janelas de peroba-do-campo que meu avô não deixou pintar. A casa de minha infância tem portas almofadadas, lareira com lenha que queima azul para todo mundo olhar como uma T antiga, tem a poltrona do Fasanello que foi consertar e nunca mais retornou, tem mesa comprida com … Continue lendo A casa de minha infância

12 anos hoje

Eu tive uma filha de quatro patas e pelo avermelhado que estaria fazendo doze anos hoje. Ela conseguiu tirar o melhor de mim em todos os sentidos. Fez-me rir com suas estrepolias e o olhar pidão, esteve presente nos momentos mais difíceis, queria aconchego e proximidade -- e teve -- e, com a cabeça deitada … Continue lendo 12 anos hoje

1000 dias sem ele

Falaram para rezarmos missa para iluminar seu caminho, disseram para tocarmos a vida e aproveitarmos a mudança, mostraram os dias ensolarados e quentes, pediram para acendermos velas, pularmos ondas, jogarmos palmas no mar, batermos tambores, homenagearmos santos e orixás. Afirmaram que a dor diminui, enquanto a saudade aumenta, indicaram leituras amenas e os filmes mais … Continue lendo 1000 dias sem ele

Papel craft

Nas ondas do papel craft embrulham-se livros, objetos e móveis, embalam-se vidas, passadas e futuras, enrolam-se desejos, saudades e esperança, envolvem-se fotografias tiradas há décadas. Na cor única do papel craft unificam-se os tons de muitas casas, muitas gentes, outras cidades, de muito tempo. Na impesssoalidade do papel craft depositam-se todas as pessoas que já … Continue lendo Papel craft

A música de um carnaval distante

‑ Quem é você? ‑ Adivinha, se gosta de mim! Hoje os dois mascarados Procuram os seus namorados Perguntando assim: ‑ Quem é você, diga logo... ‑ Que eu quero saber o seu jogo... ‑ Que eu quero morrer no seu bloco... ‑ Que eu quero me arder no seu fogo. ‑ Eu sou seresteiro, … Continue lendo A música de um carnaval distante

Desejos para 2013

Em 2013, Para os distantes, presença. Para os europeus, longos braços pelo oceano; Para os americanos, asas para os trópicos; Para os que não vejo há muito, encontro; Para os que vi e perdi, reencontro; Para os não enxergo, saudade; Para os que não entendem, compreensão; Para as novas amizades, continuação; Para os zangados, sorrisos … Continue lendo Desejos para 2013

Naquela mesa

Naquela mesa ele sentava sempre E me dizia sempre o que é viver melhor Naquela mesa ele contava histórias Que hoje na memória eu guardo e sei de cor Naquela mesa ele juntava gente E contava contente o que fez de manhã E nos seus olhos era tanto brilho Que mais que seu filho Eu … Continue lendo Naquela mesa