Pessoal e Intransferível

Tarde da noite, eu já meio dormindo, minha irmã me ligou:

– Li suas últimas postagens. Tá bem impessoal, né?
– ???
– É… Você começou a escrever sobre coisas…
– ????
– Não fala mais das suas emoções…
– Como não? São crônicas, o que sinto, o que vejo, o que acontece…
– É, mas… tá diferente…
– Diferente… (bocejo) vou ver o que tá diferente…
– E não esquece que amanhã começa a segunda temporada da série “The Tudors”. Confirma aí no seu aparelho o horário e me diz.

Bato uma continência imaginária, viro para o lado e torno a chamar o sono, não sem antes pensar: amanhã vou escrever esse diálogo. Ele é o símbolo de todos os 25 telefonemas diários trocados entre minha irmã e eu.

Nossa! Como é bom ter uma irmã como a minha! Que gargalha pelas coisas mais bobas, que estende a mão diariamente, que faz planos para daqui a 15 minutos e no décimo terceiro já planejou outra coisa. Que me acorda à noite para dizer que parei de escrever sobre emoções e me acorda pela manhã, totalmente pilhada, para dizer que me ama e que a nossa dieta do colesterol é maravilhosa!

Você tem uma irmã como a minha?

MPV – agosto 2008

Anúncios

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s